Anahp | Área Restrita

Ministro convoca farmacêuticas a propor formas de baratear remédios do SUS

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, convocou hoje (9) a indústria farmacêutica a propor soluções no sentido de buscar tecnologias que tornem os medicamentos distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) mais baratos e eficientes. O intuito é baixar os custos do Poder Público. O ministro participou hoje de um encontro reservado com 56 empresários vinculados à Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma).

De acordo com o ministro, os seus interlocutores demonstraram interesse em propor o que o governo precisa: “modernizar o relacionamento da indústria com o governo e ampliar as pesquisas químicas, os novos medicamentos e os investimentos na área de pesquisa e tecnologia”.

No encontro, estavam os representantes de laboratórios multinacionais que mantêm acordos com o governo para Parcerias de Desenvolvimento Produtivos (PDPs). Por meio das PDPs, é feita a transferência de tecnologia para a rede de instituições públicas que produzem os medicamentos distribuídos de graça pelo SUS. Entre essas instituições estão o Instituto Butantã e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O ministro disse que tem buscado racionalizar a distribuição do orçamento da Saúde. Segundo ele, nos primeiros 100 dias de sua gestão, já foram economizados R$ 1 bilhão. Ao mesmo tempo, segundo destacou, foram colocados em dia os repasses de verbas a vários estados e municípios bem como às unidades hospitalares das Santas Casas de Misericórdia para atendimento aos pacientes do SUS.

Barros avalia que o grande desafio é modernizar o setor por meio de ações que levem à informatização. Ele apontou que, em um segundo momento, a prioridade será investir mais na prevenção e promoção da saúde, além do processo de humanização. “Queremos evitar que as pessoas precisem procurar o sistema de saúde”, justificou. O ministro acrescentou que “todos querem ser bem atendidos e, para isso, treinaremos e qualificaremos os nossos colabores do SUS”.

Fonte: Agência Brasil
Data: 10/11/2016